FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Imagem Desdobramento
Bem-Estar
Colgate promove avaliações de Saúde Oral até abril
A Colgate assinala o Dia Mundial da Saúde Oral, que se celebra a 20 de março, com uma nova edição da “Missão Saúde Oral”. A iniciativa, que vai decorrer em várias juntas de freguesia do país entre os dias 20 de março e 13 de abril, tem como objetivo educar a população portuguesa e capacitá-la para a adoção de hábitos corretos de higiene oral.

 

Esta edição, levada a cabo por profissionais de Saúde oral, decorre em diversas juntas de freguesia de Aveiro, Évora, Gaia, Lisboa, Porto, Portimão, Setúbal e Seixal. Os interessados em participar deverão aceder à plataforma criada para o efeito e marcar a sua avaliação.

 

O terceiro Barómetro de Saúde Oral, divulgado em 2017 pela Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), permitiu concluir que, apesar de a grande maioria dos portugueses afirmar ter bons hábitos de higiene oral, no que diz respeito à escovagem de dentes (97,8%), apenas 30,1% utiliza fio dentário e apenas 54,3% completa a sua rotina com o uso de elixir.

 

Adicionalmente, foi possível concluir que 27,1% dos portugueses nunca visitam o médico dentista ou fazem-no somente em caso de urgência, sendo negativa a correlação entre a frequência de visitas e a falta de dentes naturais, situação que afeta 68% da população.

 

Em comunicado, a Colgate alerta que a escovagem com dentífrico fluoretado, sendo um procedimento fulcral para a Saúde da boca, não consegue remover sozinha a placa bacteriana e os pequenos resíduos que se alojam entre os dentes, principais fatores para o surgimento do mau hálito, de cáries, do tártaro e de doenças da gengiva. Nesse sentido, para assegurar uma limpeza perfeita da boca, que inclui dentes, língua e gengivas, a marca de higiene oral afirma que é crucial aliar o fio dentário e o elixir à escovagem.

 

Por outro lado, a marca explica que as visitas regulares ao dentista permitem não só avaliar o estado da boca e proceder aos cuidados de prevenção necessários à sua Saúde, mas também examinar o rosto, o pescoço, a mordida, a saliva e o movimento do maxilar inferior, e diagnosticar inúmeras doenças infeciosas, como a anemia, a leucemia e a sífilis, por se manifestarem na mucosa bucal. Neste sentido, a Colgate refere que as consequências da falta de consultas periódicas podem ir muito além das cáries dentárias e da placa bacteriana, tendo em conta que as lesões precoces, que não sejam tratadas corretamente e/ou a tempo, podem evoluir para condições muito delicadas, como o cancro da boca.

 

Relativamente às crianças, a Colgate considera as conclusões do estudo "alarmantes", com 60,6% dos menores de seis anos a nunca terem visitado um médico dentista. Segundo a OMD, a primeira consulta deverá ser realizada a partir do momento em que os primeiros dentes temporários surgem ou, no máximo, até ao bebé completar o primeiro ano de vida, a fim de definir um programa preventivo de Saúde oral e intercetar hábitos prejudiciais. Para além disso, a criança deverá ser observada a cada seis meses, diminuindo o período para três meses em situações de elevado risco de cárie. A dentição pode apresentar variações de formato, dimensão, cor, número e formação das estruturas, sendo imperiosa a sua avaliação. O diagnóstico e tratamento precoces das alterações de desenvolvimento são fundamentais para uma boca saudável, funcional e estética.

 

Consulte aqui os locais onde a campanha irá decorrer.

PUBLICIDADE

"Fumar é uma droga"

"Fumar é uma droga"

© 2018 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview