FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Opinião
Ciência e prática do mindfulness: benefícios conhecidos para a saúde física e mental
Por: Ricardo João Teixeira, diretor do Serviço de Psicoterapia da Clínica da Ordem, Porto
Ciência e prática do mindfulness: benefícios conhecidos para a saúde física e mental
As práticas de meditação mindfulness, apesar de já existirem há milhares de anos, ganharam recentemente um interesse exponenciado no mundo dos cuidados de saúde, com resultados demonstrados ao nível cerebral, comportamental e do estilo de vida.

 

Alguns dos principais benefícios das práticas de mindfulness incluem:

 

1. Melhoria significativa dos estados de ansiedade: Num estudo recente do Hospital Geral de Massachusetts, 93 indivíduos diagnosticados com perturbação da ansiedade generalizada foram distribuídos aleatoriamente para uma intervenção de grupo de oito semanas com redução de stress baseada em mindfulness (RSBM), ou para um grupo de controlo, centrado na educação para a gestão do stress. O grupo que passou pelo RSBM obteve uma redução mais significativa da ansiedade;

 

2. Redução do número de recaídas na depressão: A terapia cognitiva baseada em mindfulness (TCBM) combina elementos da RSBM e da terapia cognitivo-comportamental. A TCBM é um programa que incorpora exercícios de mindfulness, incluindo yoga, consciência corporal e tarefas domésticas diárias, como comer ou fazer tarefas domésticas, com total atenção ao que se está a fazer, momento a momento. De acordo com os estudos do Centro de Mindfulness de Oxford, as pessoas em risco de depressão lidam com muitos pensamentos, sentimentos e crenças negativas sobre si mesmas, e isso pode conduzir facilmente para uma recaída depressiva. A TCBM ajuda os doentes a reconhecerem o que está a acontecer, a envolverem-se com os pensamentos de uma maneira diferente e a responderem com equanimidade e compaixão. A TCBM demonstrou de forma robusta que ajuda a prevenir a recorrência da depressão tão efetivamente quanto a manutenção da medicação antidepressiva;

 

3. Melhora o funcionamento cognitivo: Alguns investigadores descobriram que, mesmo após um curto treino mental baseado na RSBM, este pode melhorar as capacidades cognitivas. Num estudo de 2010, publicado no Consciousness and Cognition Journal, os investigadores atribuíram 24 pessoas para um grupo de intervenção. Receberam quatro sessões de treino em mindfulness. O grupo de controlo tinha 25 pessoas e este grupo ouviu um audio book. Os resultados mostraram que tanto o grupo de treino de mindfulness, como o grupo de controlo, apresentaram melhorias do humor, mas apenas o treino de mindfulness reduziu a fadiga e a ansiedade e aumentou a atenção plena. Além disso, o treino breve de mindfulness melhorou significativamente o processamento visuo-espacial, a memória funcional e o funcionamento executivo. Os investigadores concluíram que quatro dias de treino em mindfulness pode aumentar a capacidade de manter a atenção; benefícios que já foram relatados com meditadores de longo prazo;

 

4. Promove a redução da divagação mental e as distrações: Treinar a mente para se concentrar, tem-se tornado cada vez mais crítico neste mundo frenético ocidental, em que a nossa atenção é constantemente “puxada” em 1001 direções diferentes ao mesmo tempo. Num estudo da Universidade de Harvard, os investigadores relataram que as células cerebrais usam frequências ou ondas especiais para regular o fluxo de informações da mesma forma que as estações de rádio transmitem em frequências específicas. Um tipo específico de frequência, o ritmo alfa, é particularmente ativo nas células que processam o toque, a visão e o som na camada mais externa do cérebro, chamado córtex, que ajuda a suprimir sensações irrelevantes ou distrativas, e a regular o fluxo de informações sensoriais entre as regiões do cérebro. Neste estudo, os participantes passaram por um programa de treino de mindfulness. Os resultados demonstraram que aqueles que completaram o treino fizeram ajustes mais rápidos e mais acentuados com base na atenção ao ritmo alfa, do que aqueles no grupo de controlo.

 

Hoje em dia, é mais fácil aprender os conceitos básicos da meditação mindfulness. Existem cursos, livros, aplicativos e vídeos do YouTube que podemos usar. Na experiência de várias pessoas, a parte mais difícil deste treino consiste em torná-lo um hábito diário. Semelhante a outros bons hábitos, como fazer exercício físico e comer uma refeição saudável e equilibrada, ter a informação para essas práticas é muito diferente de realmente envolver-se nelas. Se você está curioso sobre as práticas de mindfulness, comprometa-se com uma prática diária. Comece por se comprometer numa altura do dia em que não seja interrompido, durante alguns minutos (por exemplo, 5-10 minutos por dia). Depois de praticar durante uma semana, tente reavaliar e ver se você gostaria de meditar mais tempo (ou talvez até menos). A prova mais poderosa de saber se essas práticas funcionam consigo não é um estudo, mas uma experiência direta. Então, experimente e descubra por si mesmo.

Artigo de opinião
Ricardo João Teixeira, diretor do Serviço de Psicoterapia da Clínica da Ordem, Porto

PUBLICIDADE

© 2017 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview