FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Bem-Estar
Suplementos vitamínicos no desporto: quais os riscos para a saúde?
quinta, 08 novembro 2018 10:56
A toma indiscriminada de suplementos vitamínicos, nomeadamente no desporto, pode acarretar diversos riscos. Conheça-os neste artigo.

 

São preparados de nutrientes disponibilizados sob a forma de pastilhas, pós ou xaropes e tomados como complementos à alimentação e, em Portugal, são produtos de venda livre. Os suplementos nutricionais permitem corrigir deficiências nutricionais que ocorrem em casos específicos, como a toma de determinados medicamentos, mas se usados de forma indiscriminada podem representar riscos para a saúde.

 

Funções essenciais

 

As vitaminas e minerais são micronutrientes, isto é, nutrientes que, apesar de não fornecerem energia, têm funções específicas indispensáveis ao bom funcionamento do organismo, define a Associação Portuguesa de Nutricionistas. Enquanto as vitaminas atuam como reguladores das proteínas, dos hidratos de carbono e do metabolismo das gorduras, os minerais, atuando juntamente com as enzimas, são fundamentais para o metabolismo energético, explica o American College of Sports Medicine (ACSM).

 

Os riscos dos excessos

 

À semelhança do que acontece com os macronutrientes - hidratos de carbono, proteínas e lípidos ou gorduras -, também para os micronutrientes existem doses diárias recomendas (DDR). As DDR são valores de referência, abaixo dos quais o organismo fica em carência nutricional. No entanto, ultrapassá-los também é perigoso, já que as vitaminas e/ou minerais em excesso podem ser tóxicos.

 

Segundo o ACSM, o consumo de suplementos vitamínicos e minerais em doses que excedem as DDR por parte de pessoas bem nutridas pode ter efeitos adversos. Por exemplo, a ingestão prolongada de doses elevadas de ácido ascórbico (vitamina C) pode resultar em formação de pedras nos rins, diminuição do tempo de coagulação e problemas gastrointestinais, entre outros distúrbios fisiológicos; o excesso de zinco induz uma deficiência secundária de cobre e faz diminuir a concentração do "bom" colesterol (HDL).

 

O caso dos atletas

 

Embora reconheça que a prática de atividade física pode aumentar a necessidade de algumas vitaminas e minerais, o ACSM frisa que a generalidade das pessoas pode obter a dose necessária através de uma alimentação variada e equilibrada - o que, no caso português, corresponde a respeitar as indicações da roda dos alimentos.

 

Assim, apenas quem adota, de forma prolongada, uma dieta de baixo aporte energético, está em risco de desenvolver uma deficiência nutricional de vitaminas e/ou minerais, podendo beneficiar da toma de um suplemento.

 

Mas, mesmo que haja uma deficiência nutricional evidente, refere a mesma fonte, não existem evidências científicas que apoiem o uso generalizado de suplementos para melhorar o desempenho atlético.

 

Recomendações aos desportistas

 

Em pessoas saudáveis, o uso de suplementos vitamínicos e minerais deve ser encarado de forma criteriosa, se é que deve ser de todo considerado, frisa o ACSM. Os desportistas profissionais, devido ao interesse em maximizar o seu desempenho físico, poderão procurar usar suplementos, mas devem estar cientes dos seguintes pontos críticos e aconselhar-se sempre, previamente, com um especialista em medicina desportiva.

 

Para otimizarem o aporte de vitaminas e minerais, os atletas devem adotar uma alimentação variada; se já adotarem uma dieta nutricionalmente equilibrada, o seu desempenho não irá melhorar por tomarem suplementos; só atletas com deficiência(s) nutricional(ais) definida(s) beneficiarão de uma suplementação com nutrientes.

 

As preocupações sobre a adequação nutricional da dieta devem ser avaliadas por um dietista ou nutricionista credenciado e experiente em aconselhamento de atletas e/ou um especialista de medicina desportiva.

 

É desaconselhada a toma de doses elevadas de vitaminas e minerais, devido à potencial toxicidade e às potenciais interações adversas entre nutrientes.

 

Pessoas fisicamente ativas que usam suplementos vitamínicos e minerais de forma intermitente e como prevenção devem usar produtos que não excedam as DDR de nutrientes essenciais.

 

Fonte: CUF

PUBLICIDADE

"Fumar é uma droga"

"Fumar é uma droga"

© 2018 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview