FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Dicas
10 dicas para aprender a ler o rótulo dos alimentos
quinta-feira, 03 março 2016 11:27

A preocupação em manter uma alimentação saudável é um assunto cada vez mais presente no nosso dia-a-dia. Mas saber ler os rótulos dos produtos alimentares é essencial para fazer escolhas saudáveis. A Fundação Portuguesa de Cardiologia preparou alguns conselhos para o ajudar a descodificar a informação presente nos alimentos.

 

Uma análise do rótulo permite determinar quais os alimentos com maior teor de nutrientes prejudiciais à saúde cardiovascular na sua composição, como gordura saturada, açúcar e sal, podendo assim escolher opções com menor teor destes nutrientes, e assim sendo com um efeito mais positivo na saúde. Para conseguir esse objetivo, a sua atenção deve incidir na lista de ingredientes e alergénios e na informação nutricional.

Anote estes 10 conselhos para poder fazer as escolhas mais saudáveis!

1. Em primeiro lugar, deve sempre verificar se os produtos se encontram dentro do período de validade, se a embalagem mantém a integridade, quais as condições de utilização e conservação, bem como outros cuidados adicionais que o produto alimentar exige. Deve também verificar a presença de ingredientes alergéneos que possam comprometer a sua saúde.

2. Em seguida, observe a lista de ingredientes e verifique em que lugares da lista aparecem o açúcar, a gordura e o sal. Se forem logo dos primeiros ingredientes da lista, significa que estão presentes em grandes quantidades, pelo que esse produto não é a melhor opção para a saúde cardiovascular.

3. O açúcar pode aparecer disfarçado na lista de ingredientes. Os açúcares podem aparecer sob os nomes de açúcar invertido, mel, xarope de milho, glicose, xarope de glicose, frutose, sacarose, maltose, lactose, dextrose, polidextrose, maltodextrina, extrato de malte.

4. Da mesma forma, as gorduras podem aparecer sob os nomes de gordura hidrogenada ou parcialmente hidrogenada, óleos vegetais (coco, palma, milho, amendoim) e cremes vegetais (margarina, manteiga). A presença e a posição destes elementos na lista de ingredientes deve, por isso, ser igualmente verificada.

5. No momento da compra, esteja atento aos valores de açúcares, gorduras saturadas e sal disponíveis por porção, devendo optar por consumir apenas aqueles que apresentarem valores reduzidos para os três nutrientes.

6. É também importante verificar o contributo energético por porção, uma vez que o consumo frequente de alimentos muito calóricos pode promover o aumento de peso e deteriorar a saúde cardiovascular.

7. O total de hidratos de carbono e de gordura são valores interessantes de analisar em conjunto com os de açúcar e gordura saturada, respetivamente. Alimentos ricos em hidratos de carbono complexos (hidratos de carbono que não açúcares) podem contribuir para uma maior saciedade, mas podem também ter maior contributo energético por porção.

8. Também níveis de gordura elevados, ainda que não sejam saturados, podem indicar a presença de gorduras benéficas a nível cardiovascular, mas não deixam de ser gorduras, com elevado contributo energético – além disso, em produtos processados, muitas gorduras insaturadas passam por processos que as alteram, originando gorduras hidrogenadas, más para a saúde geral.

9. Alimentos ricos em fibra, desde que não sejam acompanhados de grandes quantidades de gordura e açúcar, têm um efeito benéfico na saúde e conferem até maior saciedade.

10. Opte pelos produtos que contêm menor valor energético, menor teor de hidratos de carbono, gordura e colesterol, maior teor em fibra e, principalmente, menor teor de açúcares, gordura saturada e sal por porção.

Leia o artigo completo da Fundação Portuguesa de Cardiologia sobre leitura de rótulos aqui.

PUBLICIDADE

"Fumar é uma droga"

"Fumar é uma droga"

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview