FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Dicas
Acne na adolescência: saiba o que fazer
sexta, 09 novembro 2018 11:59

A ligação entre a juventude e o acne está longe de ser um mito, tendo em conta que cerca de 85% dos adolescentes são afetados por acne, em diferentes graus, permanecendo com sequelas ao longo de toda a vida adulta. Apesar da incidência e da visibilidade da acne na adolescência, “nos dias de hoje, não há motivo para um jovem desanimar”, realça Joaquim Cabrita, dermatologista do Hospital Lusíadas Albufeira e da Clínica Lusíadas Faro. O especialista lembra que, atualmente, estão disponíveis “medicamentos e técnicas para lidar com todos os tipos de acne e sequelas”. Em paralelo, os cuidados de rosto e de alimentação são importantes para prevenir o agravamento da acne. Fique a conhecer algumas dicas.

 

O que provoca a acne?

Esta é uma doença da pele muito comum, que afeta os folículos sebáceos e os torna excedentários de gordura e células mortas. Na maioria dos casos, a acne não surge por uma única causa, mas por uma combinação de fatores:

– Predisposição genética;
– Influência hormonal;
– Aumento da produção de sebo (substância oleosa produzida pelas glândulas sebáceas);
– Obstrução folicular;
– Presença da bactéria Propionibacterium acnes (que se “alimenta” do sebo e provoca a inflamação dos folículos);
– Inflamação cutânea.

Além destas causas, “outros fatores podem influenciar negativamente a evolução da acne, como o stresse, a aplicação de produtos agressivos na pele e a manipulação das lesões inflamadas”, acrescenta Joaquim Cabrita.
A alimentação não é vista como uma causa para a doença. No entanto, estudos científicos sugerem que os alimentos ricos em açúcar e leite, quando consumidos de forma regular, aumentam a produção de sebo e, com isso, podem agravar a acne.

 

Cuidados a ter

Se a acne estiver ainda numa fase inicial, alguns cuidados diários de higiene e alimentação podem evitar a progressão dos pequenos pontos negros e brancos para lesões inflamatórias.

– Rotina de higiene diária, com lavagens e uso de produtos suaves (de venda livre nas farmácias);
– Remoção dos pontos brancos e negros (em caso de dificuldade na remoção de pontos negros, poderá recorrer a uma “limpeza de pele” num gabinete de estética);
– Evitar irritar ou manusear as lesões inflamadas;
– Evitar dietas com consumo exagerado de leite magro (ou desnatado), açúcares e hidratos de carbono simples.

 

Fonte: Lusíadas

 

PUBLICIDADE

"Fumar é uma droga"

"Fumar é uma droga"

© 2018 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview