FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Dicas
Varicela: conheça os sintomas e cuidados a ter
segunda-feira, 21 janeiro 2019 11:16
A varicela é uma das doenças benignas da infância, atinge mais as crianças mais pequenas e é muito contagiosa. O Hospital CUF Descobertas enumera os sintomas e o que deve fazer para tratar a varicela.

 

Como surge?

 

A varicela é causada pelo vírus Herpes Varicella Zoster, que pertence à família dos vírus causadores de outras doenças como estomatite herpética. É uma doença comum na infância e é de tal forma contagiosa que 90% das pessoas que não a tenham tido são infetadas após uma situação de proximidade com outra pessoa infetada. O contágio faz-se através do contacto direto com as vesículas da pele, saliva ou espirros da pessoa doente. Pode acontecer antes do doente ter qualquer sintoma e até todas as borbulhas estarem em crosta. O período de incubação pode ir até aos 21 dias e a doença dura habitualmente cinco a sete dias. O vírus também pode ser passado através da placenta, levando à infeção do feto nas mulheres grávidas.

 

Como reconhecer a varicela?
 

No início aparecem manchas cor de rosa, que podem surgir em qualquer parte do corpo, mas, na maioria das vezes, surgem em primeiro no couro cabeludo, região genital e também dentro da boca. É caraterístico haver em simultâneo pequenas vesículas, bolhas com líquido, que provocam muita comichão. Os doentes costumam também ser atingidos por febre.

 

Que cuidados deve ter?

 

Banho diário com gel antiséptico, ter as unhas cortadas, vestir roupas leves e usar cremes que aliviem a comichão são algumas das estratégias que podem ser utilizadas para aliviar os sintomas. Se houver febre, só se deve tomar administrar paracetamol e não anti-inflamatórios ou ácido acetilsalicílico.

 

Se alguém próximo for diagnosticado com varicela, o que pode acontecer?

 

Dada a facilidade de contágio e, principalmente, pelo facto de a doença poder ser contraída sem haver qualquer manifestação de sintomas, é mais complicado evitar a passagem do vírus entre irmãos, por exemplo. Mas é importante ter em conta que quando o contágio acontece entre pessoas que estão sob o mesmo ambiente, o vírus tende a ser mais agressivo e os sintomas acabam também por ser mais intensos.

 

No caso de gravidez…

 

Se já tiver contraído varicela, a mulher está completamente imune e não existe risco para o feto. Caso contrário, nas primeiras 20 semanas de gestação, a varicela pode implicar complicações como aborto espontâneo, morte do feto ou síndrome de varicela congénita, cuja forma mais típica é a agenesia (não desenvolvimento) de um dos membros inferiores. Na própria grávida, as manifestações de varicela são mais intensas, como em qualquer adulto. Nos adultos a varicela pode ser mais intensa e severa. No caso dos homens existe o mito de que esta doença pode dar infertilidade, o que não é verdade.
 

Atenção

 

Apesar da varicela ser habitualmente uma doença benigna, podem ocorrer complicações, como encefalite, pneumonia ou plaquetas baixas. Estas complicações são mais importantes, porque são mais graves, nas crianças com doença crónica em que haja menos defesas imunitárias. É importante estar atento e, em caso de dúvida, consultar um médico. 

 

Fonte: CUF Descobertas

PUBLICIDADE

"Fumar é uma droga"

"Fumar é uma droga"

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview