FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Entrevista
Hipertensão pulmonar: testemunho de Ana Alexandra Pinto
segunda-feira, 29 abril 2013 14:56
Por: Ana Alexandra Pinto
Hipertensão pulmonar: testemunho de Ana Alexandra Pinto

artigo alexandra pinto testemunhohipertesnsaopulmonar c831aAna Alexandra Pinto, 31 anos, descobriu qual a origem do extremo cansaço que sentiu durante a gravidez, em especial a parir do sexto mês de gestação. Soube do diagnóstico da hipertensão pulmonar no verão de 2006, quando realizou um cateterismo no Hospital de Marta.


"A partir dessa altura iniciei a terapêutica considerada como a mais indicada", conta ao Vital Health esta jovem de Aveiras de Cima. "Pensei que com uns comprimidos passava, até porque ninguém sabia que doença era esta. Mas enfrentei a gravidade, em 2008, quando fiquei internada no Hospital Garcia de Orta durante 9 meses", lembra.


O quotidiano de Ana Pinto alterou drasticamente. "Tinha um filho pequeno e não conseguia tratar dele convenientemente. Também não pude arranjar trabalho, porque canso-me muito. Por exemplo, tenho de parar para descansar depois de subir apenas três degraus", diz Ana que tem de fazer oxigénio 24 sob 24 horas. Diz que lhe dificulta a vida, pois a botija de oxigénio portátil tem uma duração limitada a 4 horas. Para além disto, tem de fazer medicação subcutânea, através de uma bomba localizada na zona abdominal, bem como terapia com vasodilatadores, diuréticos e anticoagulantes."Neste momento estou à espera de autorização para ir a Barcelona fazer um transplante cardiopulmonar", remata Ana Pinto.


A Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar (APHP) assinala o Dia Mundial da Hipertensão Pulmonar (5 de maio) com diversas atividades, entre elas uma caminhada na Mata Nacional do Bussaco.

 

PUBLICIDADE

Por vezes mais é menos

Por vezes mais é menos

© 2020 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview