FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Com o apoio da Astellas Farma Portugal, a campanha “Na bexiga mando eu” pretende alertar para o impacto da bexiga hiperativa, condição que se estima afetar um milhão e 700 mil portugueses, com mais de 40 anos de idade.

 

Publicado em Iniciativas
Já imaginou ter de condicionar a escolha da mesa de um restaurante devido à proximidade da casa de banho? No Dia Internacional da Incontinência Urinária, que se assinala hoje, dia 14 de março, o Vital Health conversou com um especialista sobre a bexiga hiperativa e o impacto pessoal e social que esta patologia tem na vida dos doentes. Tal como explica Paulo Temido, assistente hospitalar graduado de Urologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), “o doente com bexiga hiperativa sente-se limitado nas suas ações e na sua autonomia com perda de autoconfiança, tendo que adaptar ou prescindir de determinadas atividades”. Saiba que medidas deve adotar para manter uma bexiga saudável.

 

Publicado em Entrevistas
quarta-feira, 11 outubro 2017 09:38

Tem bexiga hiperativa? Saiba que tem tratamento

A bexiga hiperativa é um conjunto de sintomas relacionados com a bexiga, que se contrai de uma forma descontrolada e que se caracteriza pela presença de um desejo súbito e forte de urinar, difícil de controlar e que pode ou não ser acompanhado de perda involuntária de urina associada a estas vontades. Estes episódios de incontinência são muitas vezes abundantes, podendo mesmo ocorrer um esvaziamento completo da bexiga. Geralmente, associa-se também a uma necessidade frequente de urinar, oito ou mais vezes durante o dia e uma ou mais vezes durante a noite. O seu diagnóstico é feito com base nos sintomas do doente e após exclusão de infeção urinária ou outra patologia óbvia, tais como a diabetes ou o cancro da bexiga. Na maioria dos casos não se consegue determinar a sua causa.

 

Publicado em Opinião
Foi hoje, 16 de abril, lançado na página do Facebook “Comece Hoje, Conselhos para uma bexiga saudável” o primeiro de uma série de vídeos educativos sobre a bexiga hiperativa. A atriz Custódia Gallego é a embaixadora da campanha e dá a conhecer esta patologia, que afeta cerca de um milhão e 700 mil portugueses com mais de 40 anos.

 

Publicado em Iniciativas
Sente necessidade de ir à casa de banho mais de oito vezes por dia? Acorda várias vezes durante a noite para urinar? Saiba que pode sofrer de bexiga hiperativa. A plataforma online “Na Bexiga Mando Eu” dá-lhe a conhecer 10 dicas para que neste verão a bexiga hiperativa não o pare.

 

Publicado em Dicas
A bexiga hiperativa é uma condição clínica caracterizada por urgência urinária, ou seja, episódios de vontade súbita e inadiável de urinar, com idas muito frequentes à casa-de-banho durante o dia e durante a noite, podendo igualmente acompanhar-se de perdas involuntárias de urina (incontinência urinária).

 

Publicado em Opinião

Os dias mais frios do inverno podem agravar os sintomas de quem tem uma síndrome chamada bexiga hiperativa, que pode levar as situações constrangedoras como as perdas de urina. A síndrome é muito frequente, sobretudo a partir da meia-idade (40 anos), que afeta mais as mulheres do que os homens. Estima-se que 20 a 30% das mulheres podem vir a sofrer de bexiga hiperativa em alguma fase da sua vida. Em Portugal, cerca de três em cada 10 pessoas referiu ter sintomas indicativos da bexiga hiperativa. O site Vital Health falou com o urologista Miguel Ramos, do Centro Hospitalar do Porto, que explica os sintomas e os tratamentos para esta síndrome.

 

Publicado em Entrevistas
 

Em Portugal, prevê-se que a síndrome da bexiga hiperativa possa afetar cerca de 20% a 30% das mulheres a partir dos 40 anos. Os principais sintomas de alerta são a perda involuntária de urina, vontade incontrolável em ir à casa de banho de forma repentina resultante da frequência da necessidade em urinar. Nos casos mais graves, as doentes chegam a urinar mais de oito vezes por dia e três vezes por noite.

A par das mudanças radicais que as doentes sentem a nível físico, esta é uma doença que afeta também a vida social, profissional e psicológica, o que muitas vezes leva ao isolamento social.

No âmbito da World Continence Week que decorreu entre os dias 17 e 23 de junho, o Vital Health falou com Inês Pereira, médica uroginecologista, e com Florbela Rodrigues que partilhou, na primeira pessoa, como é viver com a doença.

 

Publicado em Entrevistas

PUBLICIDADE

Por vezes mais é menos

Por vezes mais é menos

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview