FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Iniciativas
Associações de doentes e profissionais de saúde lançam campanha de alerta para os perigos das hipoglicemias
quarta-feira, 11 dezembro 2019 11:56
A campanha “Hipoglicemias. Uma já pode ser demais” tem como objetivo sensibilizar as pessoas com diabetes e a população em geral para os perigos das hipoglicemias, que não devem ser encaradas como consequência natural da diabetes. Esta é uma iniciativa da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP), da Federação Portuguesa de Associações de Pessoas com Diabetes (FPAD), da Sociedade Portuguesa de Diabetologia (SPD) e da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo (SPEDM), com o apoio da Novo Nordisk.
 
De acordo com o estudo TALK-HYPO, até 64% dos familiares das pessoas com diabetes sentem preocupação quantos aos riscos das hipoglicemias, resultado de uma baixa concentração de açúcar no sangue, revelando que 76% acredita que a conversa com o médico pode levar a melhorias na vida das pessoas com diabetes. As hipoglicemias podem ainda ser provocadas por erros alimentares, medicação oral para a diabetes ou excesso de insulina, exercício físico sem se alimentar e consumo excessivo de álcool.
 
Um estudo realizado pela APDP revelou que mais de três em cada dez pessoas com diabetes tipo 2 a fazer insulina comunicaram episódios de hipoglicemia, e que seis em cada dez não foram tratados de forma adequada. Os custos associados ao seu tratamento são significativos, sendo que um episodio de hipoglicemia grave tem um custo superior a 1,450 euros, sendo a segunda maior causa de ida às urgências das pessoas com diabetes em Portugal. Cerca de 55% das pessoas com diabetes não informa o seu médico quanto à ocorrência de episódios de hipoglicemia, acabando por reduzir a sua dose de insulina sem consultar um médico.
 
As hipoglicemias noturnas são as mais perigosas, ainda que todas tenham impacto na vida da pessoa com diabetes: “Se um indivíduo estiver a ter uma hipoglicemia e não for tratado, a falta de glicose no cérebro pode levar à morte. Hipoglicemias repetidas podem levar à instalação de quadros de demência, de perturbações mentais e alterações cognitivas profundas e, por isso, as hipoglicemias devem ser evitadas”, esclarece Davide Carvalho, médico endocrinologista e presidente da SPEDM.
 
Isabel Videira, diagnosticada com diabetes tipo 2 há nove anos e a fazer terapêutica com insulina há seis meses dá conta da sua experiência: “se a pessoa se conhecer muito bem, bem como a reação do seu organismo aos alimentos, consegue fazer uma boa gestão, mas há momentos em que as coisas fogem ao nosso controlo e que nós não temos noção do que se está a passar porque o organismo reage de formas diferentes. Já tive alguns episódios de hipoglicemias que se traduzem em sintomas de mal-estar e tremores, inclusive hipoglicemias noturnas que só dou conta porque ficam registadas nos dispositivos”, conclui.
 
Para mais informações consulte a página da campanha.
 

PUBLICIDADE

Por vezes mais é menos

Por vezes mais é menos

© 2020 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview