FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Iniciativas
Projeto “Estou” quer angariar 2.500 tablets para ajudar doentes em isolamento
quinta-feira, 02 julho 2020 12:42
Está a ser dinamizado um projeto que visa angariar 2.500 tablets para combater o isolamento social dos doentes internados nos hospitais portugueses do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Esta ideia parte de uma antiga enfermeira.
 
Luísa Machado, uma das impulsionadoras do projeto, explica que o objetivo é aumentar a qualidade do tempo dos doentes COVID-19 e não COVID-19 internados nos hospitais do SNS. Esta ideia parte da perceção de que “pelo menos 10% dos doentes internados têm capacidade para fazer videochamadas, mas não têm equipamentos”.
 
Este contexto fez nascer o projeto “Estou”, promovido pela associação sem fins lucrativos “Semeiabraços”, sediada no Porto, acrescentou. O projeto de cidadania é inspirado no espanhol “Acortando la distancia”, e enquadrado no facto de a “pandemia do novo coronavírus não privar apenas os doentes com COVID-19 de estar em contacto com os seus familiares”, salientou.
 
Os equipamentos destinam-se a “doentes internados e que têm as visitas dos seus familiares condicionadas”, explicou a responsável, com base no conhecimento de que “existem muitas pessoas internadas nos cuidados paliativos que estão, neste momento, isoladas socialmente”
 
O desafio surgiu de “um grupo de médicos portugueses”, sendo que todos “colaboram de forma voluntária, no sentido de angariar fundos para a aquisição de tablets”. Desse labor, contabilizou a ex-profissional de saúde, “conseguiram angariar 40 tablets, sendo que 21 foram já entregues a diversos hospitais e Unidades de Cuidados Paliativos.
 
Ciente de que “Portugal é um país onde a iliteracia digital ainda é um problema”, Luísa Machado explica que tudo se processa de uma forma fácil: “o ‘software’ permite que os doentes possam fazer uma videochamada à distância de dois cliques, sem qualquer necessidade de criação de contas”.
 
“Na nossa plataforma online, é possível não só aos hospitais inscreverem-se para receberem os equipamentos, mas também as empresas e pessoas em nome individual fazerem os seus donativos”, observou.
 
“Os tablets são entregues, bloqueados, ao uso de outras aplicações para que não se desvirtue a intenção original do projeto com outros propósitos”, sublinhou Luísa Machado, acrescentando que o tablet fica na unidade do doente durante todo o internamento.
 
Fonte: Agência Lusa

PUBLICIDADE

Por vezes mais é menos

Por vezes mais é menos

© 2020 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview