FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Opinião
Cárie dentária: saiba tirar partido do aconselhamento farmacêutico
segunda-feira, 13 outubro 2014 12:31
Por: Mário Beja Santos, da Direção-Geral do Consumidor
Cárie dentária: saiba tirar partido do aconselhamento farmacêutico

beja santos d21e0 793efA cárie dentária é uma doença infeciosa, de origem microbiana, que se localiza nos tecidos duros dentários e afeta aproximadamente 90% da população. É provocada pela ação de determinadas bactérias que podem desencadear a destruição parcial ou total do dente.

 

 


É a presença destas bactérias na boca, associada a uma alimentação inadequada e a uma higiene oral deficiente, que facilita o aparecimento de cáries.


Recorde-se que em situações extremas, a cárie dentária pode originar infeções que nalguns casos terão graves repercussões na saúde geral da pessoa.

 

 

Como pode surgir a cárie dentária

 

Estão envolvidas várias causas. Por exemplo, quando ingerimos alimentos ricos em hidratos de carbono (caso dos bolos, dos chocolates e dos doces de uma forma geral), as bactérias cariogénicas metabolizam os hidratos de carbono, originando ácidos orgânicos que provocam a dissolução do conteúdo mineral dos dentes e, consequentemente, o aparecimento de lesões de cárie. Tenha-se em conta que o processo de aparecimento de cáries é geralmente lento. Como há o risco de poderem ter graves repercussões na saúde, devem ser tratadas o mais precocemente possível.


Os dentes molares e pré-molares são mais suscetíveis ao aparecimento de cáries, uma vez que apresentam uma forma mais irregular, com sulcos e fissuras, permitindo que os restos alimentares se alojem mais facilmente e durante um maior período de tempo. Estes fatores, associados a uma maior dificuldade de escovagem destes dentes, por se localizarem mais atrás, podem facilitar a acumulação de bactérias e restos alimentares.

 

Cuidados a ter para prevenir a cárie dentária

 

•    Efetuar uma higiene oral diária correta;
•    Escovar os dentes, pelo menos duas vezes ao dia, com uma pasta fluoretada após as refeições. A escovagem noturna é a mais importante e não se deve ingerir mais alimentos após esta operação;
•    Passar o fio dentário entre os dentes pelo menos um vez por dia, idealmente à noite;
•    Ingerir refeições nutricionalmente equilibradas e limitar ao máximo o "petiscar" entre refeições;
•    Se não for possível a escovagem após uma refeição principal, pode mascar uma pastilha elástica sem açúcar. Mas não se esqueça: as pastilhas nunca substituem a escovagem!
•    Visitar o seu médico dentista regularmente. A utilização de algum suplemento de flúor, bem como a indicação para a realização de selamento de fissuras deve ficar sempre ao critério do médico dentista.

 

Estilos de vida saudáveis contribuem também para prevenir a cárie

 

Uma boa higiene oral e um regime alimentar cuidado são fundamentais para manter os dentes sãos. Atenda-se a que a cárie surge a partir da placa bacteriana, que é uma película muito fina que se deposita sobre os dentes. Esta película adere ao esmalte do dente e é composta por diversos tipos de bactérias.

 

Quando não é removida regularmente, a placa bacteriana calcifica, transformando-se em tártaro (conferindo uma superfície rugosa aos dentes e facilitando a deposição de nova placa bacteriana sobre o próprio tártaro). Escovar os dentes diariamente, pelo menos duas vezes por dia, usar escovilhões interdentários ou fio dentário e bochechar com soluções antimicrobianas adequadas para a higiene oral, pode ajudar a controlar a placa bacteriana e o aparecimento do tártaro, prevenindo o aparecimento das cáries.


Faz parte dos estilos de vida saudáveis conhecer o porquê da necessidade de uma higiene oral cuidada, não só para prevenir o sofrimento resultante da infeção de toda a mucosa oral como da perda de dentes, mas também as perturbações digestivas por mastigação deficiente.


Não nos esqueçamos que o uso de próteses dentárias é hoje elevado. As próteses, habitualmente utilizadas para a substituição dos dentes perdidos, de modo algum substituem os dentes originais. Aqui está mais uma boa razão para conhecer e praticar uma boa higiene oral desde a mais tenra idade. Por exemplo, as gengivas dos bebés devem ser regularmente lavadas para remoção dos restos do leite e, mal apareçam os primeiros dentes, estes devem passar a ser escovados.
Em termos alimentares, temos que saber que o açúcar não deve permanecer muito tempo e contacto com os dentes. Depois de comer alimentos adoçados, sempre que possível, deve-se recorrer à escovagem dos dentes, no mínimo deve-se recorrer ao bochecho. E não se deve esquecer que tomar chá ou café sem açúcar contribui para a prevenção da cárie.

 

Saiba tirar partido do aconselhamento farmacêutico

 

Em diferentes níveis, o farmacêutico está altamente posicionado para ajudar os seus utentes a disporem de uma boa saúde oral.


O farmacêutico tem formação para reforçar e promover mensagens educativas para uma boca sã e até para alertar, em casos específicos, como a saúde oral pode depender de uma adequada toma de medicamentos. Na verdade, há doenças e medicamentos que podem fragilizar a saúde oral, podendo o farmacêutico constituir uma fonte de informação e orientação para a prevenção das agressões daí decorrentes.


Este profissional de saúde pode orientar os seus utentes quanto às pastas dentífricas mais adequadas a cada situação, à forma correta e recomendada da escovagem dos dentes, à frequência da mesma, à seleção da escova a utilizar e até ao uso de produtos recomendados para situações específicas. Neste ponto, importa recordar que há uma comunicação publicitária que pode induzir a procura de dentífricos orientados para o branqueamento dos dentes. É bom que se saiba que a coloração natural é individual, depende do próprio esmalte, e a tentativa de o branquear pode levar à escolha de dentífricos mais agressivos para esse esmalte, o que pode provocar fissuras e deterioração precoce.


Ao abordar o seu farmacêutico, deve procurar expor com clareza o estado de saúde da sua boca, informando se eventualmente: os seus dentes são sensíveis a variações de temperatura (para o quente e para o frio); as suas gengivas sangram com facilidade; quais os métodos e a frequência com que limpa os dentes; a periodicidade das idas ao dentista.


Também para as próteses deve depositar a sua confiança no farmacêutico para a escolha do produto de limpeza e das escovas mais adequadas (a escova, quando tem as cerdas muito duras, pode riscar o próprio material de que é feita a prótese, facilitando a fixação de bactérias na placa, que, posteriormente, podem originar infeções na boca).


As próteses requerem uma higiene cuidada e o farmacêutico tem todas as aptidões para ajudar os seus utentes a tratar adequadamente as respetivas próteses.


Aconselhe-se com o seu farmacêutico quanto ao bom uso do fio dentário e às características das escovas de dentes elétricas. Estas têm hoje inegáveis vantagens: com uma cabeça mais pequena, chegam com mais facilidade a todas as superfícies dos dentes, promovem uma escovagem mais eficaz pela variedade de movimentos dos filamentos, e pessoas com mobilidade limitada beneficiam da sua utilização.


Enfim, estão aqui elencadas várias razões para usar e abusar do aconselhamento farmacêutico.

 

Por Mário Beja Santos, da Direção-Geral do Consumidor

 

Diálogo do Consumidor, Farmácia Saúde, agosto/setembro de 2014

 

 

PUBLICIDADE

© 2020 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview