FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Opinião
Como preparar os doentes respiratórios crónicos para o frio
terça-feira, 25 agosto 2015 11:33
Por: Paulo Abreu, Fisioterapeuta, AIR Care Centre - Reabilitação Respiratória - Linde Saúde, Lda.
Como preparar os doentes respiratórios crónicos para o frio

As doenças respiratórias crónicas como a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), a asma, as bronquiectasias, a fibrose quística e a fibrose pulmonar caracterizam-se por lesões nos pulmões (inflamação, fibrose, destruição), originando queixas como o desconforto a respirar e falta de ar (dispneia), tosse e expetoração (catarro), dificuldade em realizar as atividades do dia-a-dia e, em alguns casos, também alterações nutricionais, ansiedade, depressão e isolamento social.

Com o evoluir da doença respiratória e idade, é comum o doente ter outras doenças associadas como diabetes, hipertensão arterial, doença cardíaca e osteoporose, o que aumenta as queixas do doente e o risco de complicações.

O outono e inverno, por serem meses com mais frio e humidade, aumentam a probabilidade de agravamento da doença respiratória crónica, em particular da DPOC, pois estes doentes são mais suscetíveis às infeções respiratórias como a pneumonia, fator que se sabe contribui muito para a perda significativa da capacidade física, mais custos com medicamentos, idas à urgência, internamento hospitalar e aumento da mortalidade.

Assim sendo, é muito importante assegurar que estes doentes sejam acompanhados devidamente pelo seu médico, para que se consigam preparar na altura do ano que lhes é mais favorável e a doença está mais estável – o verão – e fortalecer assim a sua capacidade física e respiratória de forma a prevenirem potenciais agravamentos no outono-inverno.

Existem várias medidas importantes que os doentes devem adotar para fortalecer o sistema imunitário, como o cumprimento rigoroso da medicação prescrita; evitar ambientes poluídos, em especial o fumo do tabaco; tomar as vacinas para aumentar a proteção contra a gripe e a pneumonia; realizar as técnicas de higiene brônquica se tiverem catarro brônquico; ter um estilo de vida saudável, como uma boa alimentação, respeitar os períodos de repouso, reduzir o stress e realizar atividade física regular.

Efetuar um programa de reabilitação respiratória é uma excelente forma de os doentes respiratórios crónicos se prepararem para o outono-inverno. Esta intervenção tem como objetivo aumentar a sua capacidade física para conseguirem realizar as suas atividades do dia-a-dia com menos dificuldade respiratória e cansaço e ajudá-los a lidar melhor com a sua doença, sabendo o que devem fazer para não ter infeções respiratórias, como tomar corretamente a medicação, quando recorrer ao médico fora das consultas habituais, como realizar esforços sem ficarem tão cansados, como controlarem a sua respiração nas situações de esforço e stress e como controlar a sua ansiedade.

Os programas de reabilitação respiratória devem ser realizados por profissionais de saúde especializados que trabalham em equipa interdisciplinar, envolvendo médico, fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista, enfermeiro, terapeuta ocupacional e técnico de cardiopneumologia. Para poder ter bons resultados, o doente tem que fazer uma avaliação completa e rigorosa, que é a base para lhe ser feito um programa de reabilitação ajustado às suas necessidades, que consiste essencialmente em fazer treino de exercício para ganhar resistência e força muscular, aprender técnicas para remover sozinho o catarro brônquico e a controlar a sua respiração, e uma componente educacional (individual ou em grupo) para aprender a lidar melhor com a sua doença nas mais diversas situações. Em alguns casos é necessário também apoio psicológico, nutricional e da terapia ocupacional.

A reabilitação respiratória tem de ser implementada por profissionais de saúde especialistas nestas áreas pois contribuem para obter melhores resultados e também intervir com a máxima segurança. Pode encontrar este serviço em alguns hospitais e clínicas, como é o caso do AIR Care Centre – Reabilitação Respiratória, um centro apenas dedicado a este tipo de reabilitação, com uma equipa altamente especializada. Alguns doentes beneficiam de uma reabilitação feita em casa, de forma autónoma, depois de um período de aprendizagem feito no hospital ou clínica.

A reabilitação respiratória é a forma eficaz de prevenir complicações, melhorar a qualidade de vida e reduzir custos com a doença. Iniciar a reabilitação quando a doença está estável e existe menos sintomas, proporciona resultados melhores e mais rápidos.

Por Paulo Abreu, Fisioterapeuta, AIR Care Centre - Reabilitação Respiratória - Linde Saúde, Lda.

PUBLICIDADE

© 2020 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview