FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Opinião
Sistema Imunitário: O exército que há em nós!
sexta-feira, 12 fevereiro 2016 14:36
Por: Maria Luísa Teixeira, Farmacêutica
Sistema Imunitário: O exército que há em nós!
O sistema imunitário desempenha a notável função de nos defender contra as doenças causadas por microrganismos. Sem este sistema de defesa estaríamos sempre doentes! Mas afinal, como funciona o sistema imunitário? Podemos reforçá-lo? Existem vitaminas capazes de o melhorar?

Um potente escudo de defesa
O sistema imunitário abrange o conjunto de órgãos e tecidos que nos conferem uma proteção contra agressores externos capazes de provocar doenças, tais como vírus, bactérias, parasitas e fungos. As células deste sistema, os leucócitos, podem ser divididas em vários grupos conforme as suas funções. A ação conjunta de todos estes “soldados” está rigorosamente coordenada, como num exército, para que o agente infecioso possa ser combatido e removido do corpo o mais depressa possível.

A resposta a infeções
A infeção é uma das causas de doença mais comuns e pode representar uma simples gripe ou doenças mais graves, tal como a hepatite crónica ou até mesmo a SIDA.

Os microrganismos causadores destas doenças têm de ultrapassar múltiplas barreiras antes de se instalarem no organismo e provocarem a infeção. Os primeiros obstáculos são as barreiras físicas, como a pele. Se o microrganismo conseguir ultrapassar estas barreiras, poderá então invadir o organismo, iniciando-se uma verdadeira batalha antimicrobiana.

A primeira linha de defesa imunológica é a “imunidade inata”, sendo que nesta fase verifica-se uma intervenção rápida. Por sua vez, a “imunidade adquirida” resulta da ampliação do “exército” em ação, através da chamada de mais soldados ao local da batalha.

Assim, esta linha de defesa resulta numa resposta imunológica mais demorada e muito eficaz. Além disso, é através desta resposta que se forma a memória imunológica: a formação de anticorpos e de células de memória, que são como soldados vigilantes e especializados preparados para atacar rapidamente. Desta forma, num contacto posterior, quando um agente estranho invadir o organismo haverá uma resposta mais rápida e eficaz, fazendo com que o microrganismo seja eliminado com mais facilidade!

Doenças do sistema imunitário
Infelizmente, o sistema de defesa não é infalível. Vejamos em maior detalhe o que acontece nas doenças autoimunes e nas alergias, que são apenas dois exemplos de patologias que resultam de alterações no funcionamento do sistema imunitário.

- Doenças autoimunes
Os mecanismos imunológicos de defesa contra agentes patogénicos têm de ser sujeitos a um intricado controlo para evitar que a resposta imunitária acabe por se tornar lesiva para as nossas células ou os nossos tecidos. Quando este mecanismo de regulação não funciona corretamente, desenvolvem-se as conhecidas doenças autoimunes (como a artrite reumatóide ou o lúpus), em que os leucócitos agridem as células do próprio organismo.

- Alergias
As doenças alérgicas (rinite, asma ou eczema) correspondem a um tipo particular de doenças designadas de hipersensibilidade. Com efeito, a alergia resulta de uma resposta exagerada do sistema imunitário a algo que é inócuo, como as moléculas de pólen ou de o pó da casa. Existe uma forte predisposição genética para o desenvolvimento destas respostas imunitárias de características alérgicas.

Fortalecer o sistema imunitário
O funcionamento do sistema imunitário é extremamente complexo, ainda que alguns aspetos relacionados com este sistema não estejam totalmente esclarecidos, nomeadamente de que forma a alimentação, o exercício físico, certas plantas medicinais, a idade ou o stress influenciam o correto funcionamento do nosso escudo protetor.

Vejamos, de seguida, o que se conhece até à data sobre estas variáveis.

1 - Alimentação
Manter uma alimentação variada e saudável é crucial para garantir o correto funcionamento do sistema imunitário. De facto, as pessoas que vivem em pobreza e que se encontram mal nutridas são mais vulneráveis a doenças infeciosas.
Existe evidência científica que comprova que a falta de determinados micronutrientes, nomeadamente zinco, selénio, ferro, cobre, ácido fólico e vitaminas A, B6, C e E leva à alteração da resposta imunitária.

2 - Exercício Físico
O exercício físico regular é um dos pilares de um estilo de vida saudável. Melhora a saúde cardiovascular, baixa a pressão arterial, ajuda a manter o peso adequado e protege contra doenças. Mas, será que ajuda a manter o sistema imunitário saudável?
Efetivamente, o exercício físico, a par da alimentação saudável, contribui para nos mantermos saudáveis e por isso também ajuda a manter o sistema imunitário saudável. O seu contributo pode ser tão direto como melhorar a circulação do sangue, que permite que as células do sistema imunitário se movimentem corretamente pelos vasos sanguíneos e exerçam a sua função com eficácia.

3- Plantas medicinais
Certamente já encontrou em diversas superfícies comerciais suplementos alimentares à base de plantas (equinácia, alho ou ginseng) que alegam reforçar o sistema imunitário. Na verdade, a evidência científica existente neste contexto é escassa e os estudos realizados nem sempre têm a qualidade necessária que permita tirar conclusões perentórias.

4 - Idade
O processo de envelhecimento leva à redução da capacidade imunológica. Desta forma, os idosos têm maior propensão para contrair doenças infeciosas, como a pneumonia que representa uma das principais causas de morte em pessoas com mais de 65 anos.
Felizmente, existem métodos eficazes para prevenir as doenças infeciosas respiratórias em Portugal: as vacinas da gripe e da pneumonia encontram-se disponíveis e representam uma estratégia importantíssima para a diminuição da mortalidade associada a estas doenças nos idosos.

5 - Stress
Existe uma ligação muito próxima entre as emoções e a saúde física. Uma variedade de sintomas como indisposição gástrica, tonturas e até doenças cardíacas estão relacionadas com o efeito do stress emocional.
A evidência científica indica que o stress, as emoções negativas e o isolamento social apresentam consequências negativas também para o sistema de defesa. Estas emoções levam a uma alteração na libertação de determinadas hormonas, que têm um impacto negativo sobre o sistema imunitário.

10 dicas para fortalecer o seu sistema imunitário
Se deseja manter o seu sistema imunitário forte e saudável, eis as 10 dicas que deve seguir:
1 - Não fume;
2 - Tenha uma alimentação rica em frutas, vegetais e grãos integrais e evite as gorduras saturadas;
3 - Faça exercício físico com regularidade;
4 - Mantenha um peso saudável;
5 - Mantenha a pressão arterial sob controlo;
6 - Se consumir bebidas alcoólicas, beba com moderação;
7 - Durma o suficiente;
8 - Lave as mãos com frequência;
9 - Faça check-up de saúde com regularidade;
10 - Saiba gerir o stress.

Artigo escrito por:
Maria Luísa Teixeira, Farmacêutica

PUBLICIDADE

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview