FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Opinião
Joanetes com solução cirúrgica mini-invasiva
terça-feira, 07 maio 2013 12:04
Por: Manuel Azevedo, médico ortopedista
Joanetes com solução cirúrgica mini-invasiva

ManuelAzevedo 4aa1dFrequentemente, não prestamos atenção suficiente aos nossos pés. Eles são fundamentais no equilíbrio e locomoção do ser humano. A saúde e o bem-estar dos pés pode afetar o nosso dia-a-dia.

 


Cerca de 80% da população ocidental sofre durante a sua vida algum problema nos pés, sendo 50% deles graves e devendo ser avaliados por ortopedistas.
Os joanetes são provavelmente a patologia mais conhecida e frequente ao nível do pé.


Hallux valgus ou hálux valgo, popularmente conhecido como joanete, é um desvio do primeiro dedo do pé.


É mais frequente na mulher do que no homem (9 em cada dez casos) e afeta cada vez mais jovens. Não é um problema da terceira idade.


Um médico, geralmente, consegue diagnosticar o joanete só de olhar, mas um raio x do pé pode mostrar um conjunto de dados relevantes a um melhor tratamento.


Procure uma consulta com um ortopedista se o joanete: continuar a causar dor, mesmo após cuidados tomados, como o uso de sapatos folgados; impedir a realização das suas atividades rotineiras; tiver qualquer sinal de infeção (como vermelhidão ou inchaço), principalmente se é diabético.


Se as queixas com o joanete piorarem, a cirurgia para realinhar o dedo e removê-lo pode ser eficaz, havendo diferentes técnicas cirúrgicas de tratamento.
Atualmente, há uma abordagem menos agressiva, denominada cirurgia mini-invasiva ou percutânea do pé, com muitas vantagens para o doente.


A cirurgia mini-invasiva ou percutânea do pé é possível, agora, pela utilização de novas tecnologias e instrumentos especificamente concebidos e aprovados para o efeito.


Esta técnica permitirá o tratamento de uma parte significativa das deformidades do pé, atuando apenas sobre a zona afetada, através de pequenas incisões. Este método reduz-se a um ou dois orifícios minúsculos, através dos quais se fazem as devidas correções, quer a nível ósseo, quer ao nível dos tendões.

 

Vantagens da cirurgia mini-invasiva ou percutânea:


1. Sem internamento: regresso ao domicílio no dia da operação.
2. Anestesia local (troncular).
3. O doente sai da sala de operações caminhando.
4. Pós-operatório confortável, pouco doloroso.
5. Alteração menor da atividade diária.
6. Incisões mínimas, reduzindo a ocorrência de complicações.
7. Tratamento simultâneo das deformidades.
8. Sem colocação de parafusos, fios metálicos ou outros materiais.
9. Cicatrizes mínimas ou invisíveis.

 

Ao contrário da cirurgia mini-invasiva ou percutânea, a cirurgia tradicional é efetuada com anestesia geral ou raqui-anestesia, exigindo internamento.


As incisões são de maior tamanho, intervenção óssea mais agressiva, com um pós-operatório mais prolongado e potenciando o aparecimento de complicações.
O doente não anda de imediato e necessitará de auxiliares da marcha (muletas/canadianas), que utilizará por algum tempo, mais ou menos longo.

 

Manuel Azevedo, médico ortopedista, Hospital da Lapa

 

Texto publicado no Jornal de Saúde Pública, 4 de maio 2013

 

PUBLICIDADE

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview