Siga as nossas redes sociais

Opinião
Saiba como vencer as micoses nas unhas dos pés

Saiba como vencer as micoses nas unhas dos pés

Por: Francisco Oliveira Freitas

quinta-feira, 09 setembro 2021 12:38

Leia o artigo de opinião de Francisco Oliveira Freitas, podologista responsável pelo Centro de Podologia de Famalicão, sobre as micoses nas unhas dos pés.

 

Localizadas nas extremidades dos dedos, as unhas protegem as pontas dos dedos dos pés e das mãos de agressões externas e permitem uma maior sensibilidade tátil. Porém, o processo de envelhecimento natural, a possível ocorrência de lesões e eventuais patologias e infeções podem colocar em causa o seu aspeto saudável, caracterizado por uma cor uniforme e rosada, bem como a sua dureza e resistência. Por isso, é importante vigiar alterações nas unhas, ao nível do seu formato, coloração e textura, e apurar, o mais cedo possível, se estas mudanças são consequências naturais, próprias do avançar da idade, ou sinais de algum problema de saúde.
 
As micoses estão entre as causas que podem levar a modificações nas unhas dos pés, podendo comprometer a sua saúde e aparência. Responsável por mais de metade das patologias que afetam as unhas e mais frequente nas unhas dos pés, a onicomicose (micose das unhas) é uma infeção provocada por microrganismos designados por fungos, que originam a doença quando encontram condições de humidade e temperatura favoráveis ao seu desenvolvimento e reprodução, assim como uma debilidade no hospedeiro, sendo, na maioria dos casos, causada por fungos dermatófitos.
 
Mais comum em pessoas com mais de 55 anos e no verão, pois passamos nesta época mais tempo na praia e na piscina (sítios propícios à proliferação de fungos) e porque se verifica também um aumento da transpiração nos pés (causado pelas altas temperaturas), a onicomicose é mais rara nas crianças. Embora, numa fase inicial, se revele silenciosa e não provoque dor, não devemos desvalorizá-la, dado que a onicomicose é uma infeção de elevado grau de contágio, transmitindo-se de pessoa para pessoa ou através do contacto indireto com objetos pessoais ou com superfícies contaminadas. Pelo que um caso de onicomicose pode estender-se a toda a família.
 
Coloração diferente, geralmente amarelada, perda de brilho, unhas deformadas, espessas, frágeis, quebradiças ou a “esfarelar”, resíduos presos debaixo da unha e descolamento do leito ungueal são alguns dos sintomas, que apresentam variações tendo em conta o tipo de fungo e a gravidade da infeção.
 
As micoses nas unhas podem funcionar ainda como uma porta de entrada a agentes patogénicos causadores de infeções graves e, numa fase mais avançada, podem causar desconforto e dor.
 
Por forma a prevenir o contágio é importante evitar andar descalço em ambientes húmidos, sendo recomendado o uso de chinelos em piscinas, saunas e balneários. Por outro lado, deve usar, sempre que possível, calçado arejado e que permita a ventilação do pé, bem como trocar de meias diariamente e sempre que estas estiverem húmidas. Preferir meias de fibras naturais (preferencialmente de algodão) e evitar utilizar calçado apertado são também bons princípios. Deve ainda assegurar uma higiene cuidada dos pés, mantendo-os limpos e secos, especialmente entre os dedos. Relativamente ao corte das unhas, este deve ser feito em linha reta, sem cortar as cutículas e considerando que o comprimento das unhas não deve ultrapassar a ponta dos dedos. Em caso de excesso de transpiração é aconselhável aplicar um antitranspirante específico para os pés. Não é recomendável partilhar meias nem calçado.
 
No que diz respeito aos produtos de beleza e estética é preciso ter uma atenção especial, visto que o verniz pode levar à acumulação de humidade e o uso da acetona a unhas mais fracas e quebradiças. Por isso, evite utilizar verniz por mais de 15 dias, de forma a deixar as unhas respirar e de modo a não “camuflar” eventuais problemas. Nas idas ao salão de beleza, assegure-se de que todos os cuidados de higiene são cumpridos.
 
A onicomicose tem tratamento, sendo este, porém, um processo moroso, uma vez que um dos objetivos da terapêutica é alcançar uma completa renovação da unha, desde a raiz até à ponta, o que poderá demorar cerca de um ano. Os restantes objetivos passam por erradicar o patógeno causal e impedir a reinfeção.
 
O acompanhamento por parte de um podologista é crucial, de modo a instituir um tratamento adequado o mais precocemente possível, já que este terá em consideração a origem da infeção, o tipo de fungo, a gravidade do problema e a aparência da unha. As opções de tratamento incluem antifúngicos tópicos, medicamentos de toma oral e laserterapia (tratamento a laser).

PUBLICIDADE

© 2021 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview