FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Saúde
Estudo permite saber o momento ideal para transferir o embrião
sexta-feira, 04 novembro 2016 12:14
Um estudo recentemente divulgado confirma que o teste genético ERA (Endometrial Receptivity Analysis), até agora recomendado apenas em situações mais difíceis, pode melhorar significativamente a taxa global de gravidez, com uma taxa de êxito de 85% nas transferências embrionárias personalizadas.

 

Este método de diagnóstico, desenvolvido em Portugal pela Fundação IVI e várias das suas clínicas, indica qual é o momento ótimo para transferir o embrião em cada caso, o que permite a personalização e individualização do tratamento.

 

A conclusão foi apresentada pelo Professor Carlos Simón, no 72.º Congresso Anual da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM), que ocorreu nos Estados Unidos da América. “A personalização do fator endometrial do casal infértil deve ser considerado antes de começar o tratamento para aumentar o êxito reprodutivo, isso é o que nos diz o estudo. O ERA pode poupar tempo, exames dispendiosos e diagnósticos, sendo determinante para que uma transferência embrionária seja satisfatória e o embrião implante na janela de tempo indicada”, explica o investigador.

 

No estudo participaram 356 doentes, menores de 38 anos, entre 2013 e 2016, tratados em 10 clínicas, distribuídas por cinco países (Espanha, Bulgária, Bélgica, Panamá e Itália). Este estudo recebeu o prémio Prize Paper 2016 entregue pela Society for Reproductive Endocrinology and Infertility.

 

O teste ERA baseia-se na análise de 238 genes no endométrio, que permite conhecer a recetividade ou não do endométrio no momento da transferência embrionária, e melhorou nos últimos anos o prognóstico reprodutivo de muitas doentes com uma janela de implantação dessincronizada. É atualmente a única ferramenta de diagnóstico molecular do estado endometrial que existe, e além de melhorar a taxa de gravidez significativamente, nos últimos quatros anos ofereceu uma solução a mais de 10.000 pacientes para os quais com a prática habitual não havia resposta.

 

“Estamos a direcionar-nos para uma nova compreensão da recetividade endometrial e a sua relação com os tratamentos de infertilidade. Segundo os dados deste estudo, todos os casais com fator endometrial têm indicação para realizar o test ERA, pois o seu prognóstico reprodutivo pode melhorar em 24% se a transferência embrionária se realizar no dia que o test recomendar, realça João Calheiros, ginecologista e especialista em Medicina Reprodutiva.

 

PUBLICIDADE

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview