Siga as nossas redes sociais

Saúde

Risco de tromboembolismo venoso aumenta na gravidez e no pós-parto

Por: Redacção Vital Health

terça-feira, 09 abril 2013 15:20

artigo gravida 9fca8O tromboembolismo venoso (TEV) ocorre em cerca de 0,2 por cento das gravidezes, manifestando-se em 80 por cento dos casos por trombose venosa profunda e em 20 por cento dos casos por embolia pulmonar. O risco de TEV aumenta no período de 6 semanas após o parto e duplica se o parto for de cesariana. Tendo por base esta realidade, Jorge Lima, ginecologista e obstetra do hospitalcuf descobertas e especialista em TEV, defende a criação de mais protocolos para o tratamento e prevenção desta doença na gravidez e no período pós-parto.


Este é aliás um dos assuntos em destaque no 14º Simpósio Internacional de Trombose e Hemostase, que se realiza nos dias 11 e 12 de Abril na Fundação Cupertino Miranda, no Porto. "A gravidez só por si é um estado que facilita a formação de trombos nas veias, devido não só à propensão de desenvolver trombose, mas também à diminuição da velocidade da circulação do sangue causada pela compressão do útero sobre a veia cava inferior e as veias pélvicas e à lesão desses mesmos vasos durante o parto, seja ele vaginal ou por cesariana", explica Jorge Lima.


O risco trombótico na gravidez aumenta com alguns fatores, como sejam a idade superior a 35 anos, a obesidade, a multiparidade, o tabaco, a insuficiência venosa dos membros inferiores, a presença de trombofilias, a imobilização e a gravidez múltipla (gémeos). Para os especialistas há ainda muito para fazer no tocante à prevenção. Quanto ao tratamento, depende da gravidade da situação, que por sua vez é avaliada por um especialista.


Fonte: Guess What
Foto: freedigitalphotos.net

 

PUBLICIDADE

© 2022 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview