FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Imagem Desdobramento
Saúde
Estudo recente explica como é que o sal prejudica algumas funções do cérebro
Um estudo recente concluiu que uma dieta rica em sal causa danos no cérebro, mais concretamente nas funções cognitivas e neurovasculares. O processo, que pode ser reversível, consiste na perda de óxido nítrico que vai reduzir o abastecimento de sangue para o cérebro, provocando danos na cognição.

 

O excesso de consumo de sal faz mal à saúde, isso já não é novidade. No entanto, um novo estudo publicado na revista Nature Neuroscience explica agora como é que as funções cognitivas são afetadas.
 
“Descobrimos que se alimentarmos ratinhos com uma dieta com um alto teor de sal (oito a 16 vezes mais do que a dieta normal), correspondente aos maiores níveis de consumo de sal em seres humanos, isto vai comprometer o cérebro a nível cognitivo”, explicou ao Público Costantino Iadecola, professor de neurologia e cientista no centro de investigação Weill Cornell Medicine, em Nova Iorque, nos EUA, e principal autor do artigo.
 
Em termos práticos, as funções cognitivas são afetadas devido à acumulação no intestino delgado de uma classe especial de linfócitos designados por Th17, que produzem grandes quantidades de um tipo especial de citocina. “A IL17 entra na circulação sanguínea, atua nas células endoteliais do cérebro, que ligam os vasos sanguíneos do cérebro, e reprime a produção de óxido nítrico. O óxido nítrico é fundamental para relaxar os vasos sanguíneos do cérebro e permitir que o fluxo sanguíneo seja suficiente e para ajudar os neurónios a manterem-se saudáveis”, refere o cientista. A perda de óxido nítrico vai reduzir o abastecimento de sangue para o cérebro, o que vai levar a uma disfunção neuronal, provocando danos na cognição. Portanto, por si só, o alto teor de sal na dieta pode prejudicar a função cerebral.
 
Através de experiências com ratinhos, os investigadores conseguiram perceber que o excesso de sal acaba por provocar, por exemplo, um défice na memória. Mas também há boas notícias: quando os ratinhos regressaram a uma dieta normal houve uma reversão da perda de memória, testada através da tarefa de reconhecimento de objetos, após um mês da adoção de uma dieta saudável. Por isso, uma dieta com um consumo de sal moderado pode reverter os possíveis danos do composto.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, para um adulto, o consumo diário máximo de cinco gramas por dia. Já para as crianças, o recomendado reduz para três gramas. No entanto, de acordo com dados relativos a 2012, da Sociedade Portuguesa de Hipertensão, o consumo médio estimado de sal em Portugal é de 10.7 gramas por dia.

© 2018 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview