Siga as nossas redes sociais

Saúde
Imagem Desdobramento

Apenas 10% dos 600 mil portugueses com incontinência urinária procura ajuda de um médico

Por: Filipa Duarte

segunda-feira, 05 março 2018 12:25
Na Semana da Incontinência Urinária, que tem início hoje e termina a 11 de março, a Associação Portuguesa de Urologia (APU) vem alertar para o facto de apenas 10% dos 600 mil portugueses que sofrem de incontinência urinária procurarem ajuda de um médico. Para a APU, a vergonha pode estar a impedir muitas pessoas de alcançar a cura, tendo em conta que certos tipos desta patologia têm tratamentos com taxas de sucesso nos 90%.

 

Em comunicado, a APU explica que "até as pequenas perdas de urina podem ter um grande impacto psicológico, emocional, social e económico na vida das pessoas que delas sofrem", pelo que considera ser "um problema que provoca vergonha e estigma e leva muitas vezes ao isolamento".

 

O urologista e presidente da APU, Luís Abranches Monteiro, refere que “a incontinência urinária não é normal, mas é muito vulgar. Também não mata, mas afeta muito a qualidade de vida das pessoas que dela sofrem", realçando ainda que "é um problema que se trata de forma mais simples e muito menos dolorosa do que há 20 anos". Neste sentido, alerta para a importância de as pessoas perderem o "medo de falar sobre estas questões com o seu médico”.

 

A Associação explica ainda que o "diagnóstico é feito de forma simples, através do diálogo entre paciente e médico e um exame físico, que através de pequenas manobras tenta mimetizar o que acontece com a bexiga quando se dão as perdas de urina" e que, "apesar de haver vários tipos de incontinência urinária e de cada caso ter as suas especificidades, existem tratamentos que vão desde medicamentos orais a fisioterapia ou cirurgia". De acordo com a APU, no caso da cirurgia os casos de incontinência urinária têm um sucesso de tratamento e até cura de 90%.

 

Em Portugal, cerca de 33% das mulheres e 16% dos homens com mais de 40 anos de idade apresentam sintomas de incontinência urinária, ou seja, um em cada cinco portugueses nesta faixa etária sofre deste problema. Ainda de acordo com a APU, apenas 10% dos doentes procura ajuda do médico, enquanto os restantes escondem o problema, automedicam-se e isolam-se.

 

A incontinência urinária é uma situação patológica que resulta da incapacidade em armazenar e controlar a saída da urina, caraterizando-se por perdas urinárias involuntárias, que podem ir desde perdas muito ligeiras e ocasionais, a perdas mais abundantes e regulares.

 

PUBLICIDADE

© 2022 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview