FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Saúde
Sabe mesmo o que é a Ortondontia?
quinta-feira, 25 julho 2019 10:16

As Clínicas OralMED Medicina Dentária desenvolveram recentemente o primeiro “Retrato da Ortodontia em Portugal” – um estudo de âmbito nacional que avalia as principais motivações e retrações dos portugueses face à Ortodontia, e que aponta várias implicações para médicos dentistas. Conheça os resultados.

 

 

Metade dos portugueses nunca ouviram falar em “Ortodontia”

Um dos resultados mais sonantes do estudo está relacionado com um elevado grau de desconhecimento face à Ortodontia. Aparentemente, metade da população não sabe o que é a ortodontia, ou tem uma perceção incorreta desta área clínica. Para além disso, dos que afirmam conhecer, na realidade, 47% não sabem explicar do que se trata.

 

A confiança no médico dentista não é um problema

O retrato aponta ainda para uma baixa frequência da utilização de dispositivos ortodônticos. De acordo com a investigação, 77% dos portugueses que já ouviram falar em aparelhos dentários nunca realizaram um tratamento desta linha, o que poderia indicar uma grande necessidade de intervenção. No entanto, numa dinâmica de autoavaliação, a grande maioria dos inquiridos (78%) tem a convicção de que, neste momento, não precisa de colocar aparelho.

Ainda assim, o estudo constata também que, num contexto de eventual necessidade, a grande maioria dos respondentes (85%) confia no seu atual médico dentista para realizar um tratamento ortodôntico.

A componente económica, uma retração típica em Medicina Dentária, também não parece ser um fator impeditivo: apenas 14% dos portugueses que nunca colocaram aparelho justificam essa decisão com questões financeiras.

 

Não foram identificadas retrações ou perceções negativas

De acordo com o estudo, junto dos portugueses que afirmam conhecer ou já ter ouvido falar em aparelhos dentários, não parecem existir grandes estigmas ou perceções negativas face aos tratamentos ortodônticos.

Pelo contrário, a maioria dos inquiridos recomenda a sua utilização e uma elevada percentagem acredita que se trata de um tratamento eficaz.

 

1 em cada 10 portugueses confunde “aparelho dentário” com “prótese removível”

O estudo permitiu ainda identificar uma associação incorreta entre dois termos muito utilizados em Medicina Dentária. Dentro da população que já ouviu falar em aparelhos dentários, 11% acredita que a função de um aparelho dentário é substituir dentes em falta.

De acordo com o estudo, designar semanticamente um ou outro, significa para os pacientes que o médico dentista se refere a próteses dentárias - uma constatação importante e que resulta na necessidade da comunicação desenvolvida pelo médico dentista ter bem presente em suporte visual, ou narrativo, a certeza de estar a designar aparelhos ortodônticos.

Neste sentido, o estudo recomenda ainda que a comunicação em Ortodontia será mais eficaz se apoiada por imagens de aparelhos ortodônticos, ou idealmente suportada por fotografias de pacientes, onde seja visível a colocação de aparelho ortodôntico.

O estudo foi desenvolvido com a coordenação científica de João Marôco e pode ser consultado em www.oralmed-ortodontia.pt.

PUBLICIDADE

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview