FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Saúde
Uma em quatro mortes estão relacionadas com a trombose
terça-feira, 08 outubro 2019 12:37
O Dia Mundial da Trombose, celebrado a 13 de outubro e liderado pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH), tem como principal objetivo promover a consciencialização sobre a trombose e as doenças a si associadas, pouco conhecidas, mas potencialmente fatais.
 
De acordo com Sérgio Barroso, médico oncologista e presidente do Grupo de Estudos de Cancro e Trombose (GESCAT), é necessário entender como a doença se manifesta para serem aplicadas medidas de prevenção: “A trombose consiste na formação de um coágulo de sangue (trombo), numa veia localizada profundamente que dificulta ou impede o fluxo normal de sangue. Nos casos em que o trombo é formado no interior da coxa ou da perna, caracteriza-se por trombose venosa profunda (TVP)”. Tendo em conta o médico, “o maior problema é quando o coágulo se desprende e se movimenta na corrente sanguínea, correndo-se o risco de este viajar até aos pulmões e originar a embolia pulmonar (EP). Tanto a TVP como a EP podem levar à morte por tromboembolismo venoso (TEV)”.
 
Ainda que, segundo a ISTH, a patologia cause mais mortes anualmente na Europa e nos Estados Unidos da América do que doenças como a SIDA, cancro da mama e cancro da próstata, a trombose continua a ser desconhecida por grande parte da população. O combate a esta doença silenciosa passa, assim, pela consciencialização de fatores como a hospitalização, da trombose associada ao cancro e da incidência da doença nas mulheres pela exposição a fatores de risco como a pílula anticoncecional e a gravidez.
 
“Até 60% dos casos de TEV ocorrem durante a hospitalização ou dentro de 90 dias, no pós-alta. Daí que um doente bem informado sobre a sua condição pode permitir maior sucesso nos tratamentos e garantir/exigir melhores cuidados durante a hospitalização”, diz o presidente da GESCAT.
 
“Tal como associados a grande parte das doenças, temos outros fatores de risco como a obesidade, o tabagismo e o consumo excessivo de álcool que contribuem fortemente para aumentar os riscos de formação de um coágulo nas veias levando ao seu entupimento e impedindo que o sangue circule normalmente”, acrescenta.
 
A TVP manifesta-se principalmente através de dores na barriga da perna, calor, inchaço e sensação de pele esticada na perna ou no braço. Já os sinais de perigo da embolia pulmonar (EP) incluem a falta de ar, dor no peito, vertigens/tonturas e tosse com sangue. Praticar um estilo de vida saudável e utilizar meias elásticas caso tenha algum histórico pessoal ou familiar de formação de coágulos sanguíneos pode ser o suficiente para a prevenção.
 
O GESCAT foi criado em julho de 2014, tendo como objetivo realçar a importância da prevenção da trombose associada ao cancro (CAT), tanto perante os profissionais de saúde, como o público em geral.
 
GESCAT 2019 975c7
 

PUBLICIDADE

© 2019 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview