FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Saúde
Continua a haver mais mortes do que nascimentos em Portugal
terça-feira, 11 fevereiro 2020 12:12
O saldo natural português manteve-se negativo em 2019, ainda que tenha havido uma redução comparativamente a 2018, com 87 mil nados-vivos e 112.253 óbitos. Os dados foram revelados ontem, dia 10 de fevereiro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
 
Segundo os dados do INE ontem revelados, “o número de nados-vivos de mães residentes em Portugal foi 86.557, menos 0,5% em relação a 2018”, ao passo que “o número de óbitos de residentes em Portugal foi 111.757, menos 1,1% que em 2018”. Nesse sentido, o saldo negativo totaliza 25.200 pessoas, um cenário que se tem vindo a repetir desde 2008.
 
Contudo, o saldo negativo de 2019 continua a ser “menor por comparação com o ano anterior em resultado da diminuição do número de óbitos ter sido superior à redução do número de nados-vivos”, pode ler-se no documento referente às Estatísticas Vitais. Em 2018, o saldo natural negativo foi de 26.031.
 
Os dados indicam que, em 2019, o mês com o menor saldo negativo foi setembro (-3), no qual foram registados 8.054 nascimentos e 8.057 óbitos.
 
Ainda que o número de nados-vivos de mães residentes em Portugal tenha diminuído face a 2018, no que toca às mães a residir no estrangeiro aumentaram, passando de 361 para 443. Setembro foi o mês com mais nascimentos (8054) em solo nacional.
 
O número de óbitos no estrangeiro também desceu, seguindo a tendência nacional. Assim, de 522 mortes em 2018, passou para 496 em 2019. Janeiro ocupou o lugar de mês com mais óbitos registados (12.883) em Portugal.
 
Fonte: Lusa e INE
 

PUBLICIDADE

© 2020 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview