Siga as nossas redes sociais

Saúde
Imagem Desdobramento

DGS apela a que não se adiem vacinas de crianças e grávidas devido à pandemia

Por: Redação Vital Health

quarta-feira, 15 abril 2020 12:59
A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, pediu ontem, dia 14 de abril, aos portugueses para não adiarem a vacinação, nomeadamente de crianças até aos 12 meses, grávidas ou doentes crónicos, por ser "absolutamente essencial para evitar" outros surtos além da COVID-19.
 
“Numa fase em que temos COVID-19, e para evitar aglomerações, é preferível marcar a vacinação. Mas, se não for possível, não adie, vá presencialmente à unidade de saúde porque eles estão a prestar cuidados protegidos e não-COVID”, afirmou Graça Freitas na conferência de imprensa diária sobre a pandemia causada pelo novo coronavírus.
 
A responsável pediu às pessoas que “não adiem a vacinação”, nomeadamente nas crianças até aos 12 meses, que com as vacinas do plano nacional podem ficar protegidas de doenças como o sarampo, a rubéola ou formas graves de meningite.
 
"Todos sabemos como o sarampo é uma doença traiçoeira e como há surtos noutros países da Europa", acrescentou.
 
Quanto às grávidas, devem "vacinar-se contra a tosse convulsa, porque assim protegem o seu bebé nos primeiros meses de vida e a vacinação não deve ser adiada para além das 28 a 32 semanas de gestação. A vacinação das grávidas protege os seus bebés", frisou a responsável da Direção-Geral da Saúde (DGS).
 
Este é um reforço do que já constava nas orientações para grávidas, partos e maternidades face à COVID-19, emitidas no passado dia 30 de março, bem como do cumprimento do plano de vacinação, divulgadas a 25 de março.

 

Fonte: Lusa e Jornal de Notícias

PUBLICIDADE

© 2022 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview