FacebookTwitterYoutubeInstagramWhatsapp

Plataforma de Atualização Diária

Imagem Desdobramento
Saúde
Um terço dos portugueses reduziu ou cessou o consumo de tabaco durante o isolamento
segunda-feira, 01 junho 2020 11:30
Um terço dos portugueses reduziu ou cessou o consumo de tabaco durante o isolamento e quase metade procurou deixar de fumar, mesmo sem qualquer ajuda especializada. São estes os dados preliminares de um inquérito realizado pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), que teve como objetivo perceber quais os hábitos tabágicos dos portugueses durante o confinamento provocado pela pandemia de COVID-19.
 
O inquérito, que assinala também o Dia Mundial sem Tabaco, data celebrada a 31 de maio, revelou que cerca de um quarto dos participantes aumentou o consumo de tabaco, o que, de acordo com José Pedro Boléo-Tomé, pneumologista do Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca e coordenador da Comissão de Tabagismo da SPP, “pode ser explicado pelo maior stress e ansiedade associados ao confinamento e à incerteza da pandemia”.
 
Ainda assim, continua o especialista, “surpreendeu-nos que quase um terço teve uma evolução positiva, deixando de fumar espontaneamente ou reduzindo o consumo. Também é relevante que quase metade tenha tentado deixar de fumar, mesmo na ausência de qualquer ajuda específica”.
 
O médico pneumologista destaca que a pandemia “pode representar uma boa oportunidade para aumentar a cessação tabágica. Deixar de fumar pode ser das atitudes mais eficazes para reforçar a imunidade, prevenir a COVID-19 e reduzir a mortalidade e, numa altura de grandes mudanças nos nossos hábitos, promover a vida saudável. Os resultados demonstram que existe essa vontade na maioria dos fumadores”, sustenta.
 
Neste sentido, José Pedro Boléo-Tomé reafirma que “não existem ainda estudos desenhados especificamente para perceber melhor a influência do tabaco na transmissão ou desenvolvimento da COVID-19. No entanto, os dados de que já dispomos mostram de forma clara que, dos doentes com COVID-19, os que têm história de tabagismo têm doença mais grave, precisam mais de cuidados intensivos e de ventilação mecânica e morrem mais”. 
 
António Morais, presidente da SPP, reforça que “em tempo de pandemia, importa reduzir todos os fatores que sejam potenciadores do risco. O tabaco enfraquece o sistema imunitário tornando-o menos capaz de responder aos agentes infeciosos, como é o caso do novo coronavírus”.
 
Este ano, a SPP assinalou a data com a realização do webinar “Perguntas e respostas – tabaco e imunidade”, onde estiveram em debate os efeitos do tabagismo no sistema imunitário, bem como a apresentação dos resultados do inquérito realizado. Pode rever a sessão através da plataforma https://pneumologia-elearnings.pt/.
 

PUBLICIDADE

© 2020 Vital Health | Todos os direitos reservados | Designed by IPSPOT_ and Developed by Webview